Em Alguma Coisa Concordamos

Por Kevin DeYoung

Por que todos os cristãos do mundo não procuram superar as diferenças e seguirem adiante?

Porque algumas dessas diferenças são irrenconciliáveis. De forma mais significativa e fundamental, os três principais ramos do cristianismo em nosso país – Catolicismo Romano, Protestantismo Evangélico e Protestantismo Liberal, não concordam quanto ao lugar da autoridade. Não respondemos a questão, ” Qual é a nossa autoridade final?” do mesmo modo.

Todo cristão reconhece  que em algum sentido nossa ética e teologia precisam de “harmonia com as Escrituras”.  Mas se isso significa, ” As Escritura com a Tradição da Igreja” ou ” As Escrituras redefinidas por meio da experiência pessoal” ou “Somente as Escrituras” é o que nos separa. E enquanto estamos em desacordo nesta matéria de autoridade, não podemos aguardar unidade espiritual genuína entre os três grupos. Não pode haver unidade onde não há acordo sobre autoridade.

Deixe-me mostrar o que quero dizer,

Peter Kreeft (Católico Romano):

A maioria dos protestantes rejeitam todas as doutrinas católicas que eles não podem encontrar explicitamente nas Escrituras – por exemplo, a Assunção de Maria aos céus – porquanto eles creem em sola scriptura: somente as Escrituras é a autoridade infalível. Esta é a razão fundamental por trás de todas as diferenças da teologia católica e protestante. (Catholic Christianity, 20).

Gary Dorrien (Protestante Liberal):

A noção essencial da teologia liberal é que todas as reivindicações para a verdade na teologia e em outras disciplinas precisam ser feitas nas bases da razão e experiência, não por um apelo a autoridade externa. As Escrituras cristãs podem ser reconhecida como espiritualmente autoritativa dentro da experiência Cristã. Mas sua palavra não determina ou estabelece reivindicações de verdade sobre matérias de fato. ( The Making of American Liberal Theology: Idealism, Realism, and Modernity 1900-1959)

Michael Horton (Protestante Evangélico):

A autoridade última sempre reside exterior a nós e também exterior à igreja, porquanto ambos são ouvintes da Palavra e receptores de seu julgmento e justificação. A igreja é comissionada a entregar esta Palavra(função ministerial) não para se apossar ou regê-lA(função magisterial*). Portanto, a autoridade é sempre transcedente. Mesmo quando se aproxima de nós, nunca é a nossa própria palavra que ouvimos.(Rom. 10: 6-13, 17, The Christian Faith, 194)

Assim parece que se discordamos como católicos, liberais e evangélicos, ao menos concordamos que é a nossa visão sobre as Escrituras e a autoridade que nos divide.

Nota do Tradultor: Função Magisterial, na igreja romana a palavra “magisterium” se refere ao ensino e a autoridade da igreja. A tarefa de interpretar a Palavra de Deus é autenticamente confiada apenas ao magistério da igreja, isto é, ao papa e aos bispo em comunhão com ele.

http://thegospelcoalition.org/blogs/kevindeyoung/2011/02/03/something-we-can-all-agree-on-even-if-it-divides-us/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: